Cardialgia

Clasificado en Biología

Escrito el en español con un tamaño de 7,91 KB

 

Mecânica Cardíaca: Mecanismos que regulam o bombeamento cardíaco; Regulação intrínseca: mecanismo de Frank Starling. O volume de sangue ejetado pelo ventrículo depende do volume presente no ventrículo ao final da diástole (VDF). Quanto maior o comprimento muscular (estiramento do músculo cardíaco) durante o enchimento maior será à força de contração e a quantidade de sangue bombeada até determinado limite, a partir do qual maiores volumes promovem queda da tensão desenvolvida. Quanto maior o volume menos potencia. Pré-Carga (ainda em repouso): é o volume sanguíneo que estira o músculo até o seu comprimento inicial, antes da contração (comprimento/tensão músculo em repouso). Pós-Carga: é a força/tensão desenvolvida na parede do miocárdio durante o período de ejeção (sístole). Regulação Extrínseca: SNA: controle da ritmicidade e da condução cardíaca pelos nervos cardíacos. Efeito da estimulação Parassimpática: Essa estimulação para o coração faz com que o hormônio acetilcolina seja liberado pelas terminações vagais ativando receptores que exercerão dois efeitos principais/ Diminuição da freqüência do ritmo do nó sinusal./ Diminuição a excitabilidade das fibras funcionais AV, o que letífica a transmissão do impulso cardíaco para os ventrículos vasoconstrição coronária. Efeito da estimulação Simpática: Essa estimulação libera as catecolam ativando os receptores com os seguintes efeitos: Aumenta a freqüência da descarga do nó sinusal./ Aumenta a velocidade de condução, bem como o nível de excitabilidade em todas as regiões do coração./ Aumenta muito a força de contração de toda a musculatura cardíaca Vasodilatação Coronária. Inotropismo (contratilidade): É o efeito do sistema nervoso autônomo (SNA) sobre a capacidade intrínseca das células miocárdicas de desenvolverem força/tensão (contração pode ser positiva ou negativa). Cronotropismo (FC) DC = FC x VS: É o efeito do SNA sobre a FC positivo ou negativo quanto necessário aumenta rapidamente o DC acorre à custa da FC, podendo influenciar o tempo de diástole, com prejuízo de sua duração. Dromotropismo: É o efeito do SNA sobre a velocidade de condução efeito mais importante no AV positivo ou negativo. Hemodinâmica: Sistema circulatório: Funções: transporte de nutrientes/ transporte de oxigênio e gás carbônico/ remoção dos metabolitos/ transporte de hormônios/ transporte de células e anticorpos do sistema imunológico. Características Físicas do Sangue: aproximadamente 45% dos eritrócitos/ hemácias, < 1% dos leucócitos/ 55% plasma - proteínas, albuminas. O aumento do hematrocito, aumenta a viscosidade do sangue e predispõe a agregação plaquetária, obstruções parciais ou totais com aumento do RVP. Artérias: Levam sangue oxigenado (a maioria) para os órgãos e tecidos. Tem parede espessa, composta por tecido conjuntivo, tecido elástico, tecido muscular liso no seu endotélio. Estão sobre pressão elevada e o volume deve ser contido nas artérias é denominado volume estressado. Arteríolas: São ramos pequenos das artérias, é o local de maior resistência no sistema cardiovascular, tem parede forte composta principalmente por tecido muscular liso. Possui grande inervação autônoma, receptores adrenérgicos alfa 1 (vasoconstrição) e receptores adrenérgicos beta 2 (vasodilatação). Capilares (onde ocorre hematose, troca gasosa): Tem > área de superfície, é transversal total, tem parede fina composta por células endoteliais (uma única camada simples e pavimentoso) é onde ocorre troca de nutrientes, água e gases. Vênulas: coletam o sangue dos capilares e desembocam em veias maiores e tem paredes finas. Veias (cava principal): tem paredes finas compostas por tecido conjuntivo, tecido elástico, tecido muscular, lisoe endotélio em média quantidade. Possi válvulas em seu interior. Está sob baixa pressão e o volume de sangue contidas na veia denominado volume não estressado. Reservatório de sangue tem receptores, nosso corpo tem mais veias do que artérias. Adrenérgicos alfa 1 (vasoconstrição). Hemodinâmica: é o estudo dos princípios físicos que governam o fluxo sanguíneo no sistema cardiovascular esta relacionada com os conceitos de fluxo, velocidade, resistência, complacência e pressão. Fluxo Sanguíneo: é a quantidade de sangue que passa por um ponto da circulação em um determinado tempo (L/mm). É determinado por dois fatores: 1) A diferença de pressão entre as duas extremidades do vaso (P1 E P2). 2) A resistência do vaso sanguíneo. Lei de Ohm h= P/R, onde h: fluxo (ml/s a l/mm)// P: diferença de pressão (mm h2)// R: resistência (mmHg/ml/mm). Velocidade do fluxo sanguíneo: É à distância percorrida pelo sangue em um determinado tempo. É a velocidade com que o sangue se desloca na unidade de tempo é intensamente influenciada. Diâmetro do vaso: área de secção transversa do vaso: V= h/A, onde V: velocidade do fluxo (com/s)// h: fluxo (ml/s ou l/min.) A= área da secção do vaso (cm). Resistência ao fluxo sanguíneo: Os vasos sanguíneos é o próprio sangue que compõe a resistência ao fluxo sanguíneo. Equação de Poisewille R = 8 n x l / ii r 4. R: resistência. N: viscosidade do sangue. L: comprimento do vaso. R 4: raio do vaso elevado a quarta potencia.  Complacência dos vasos sanguíneos ou capacitância: É o volume de sangue que o vaso pode conter sob determinada pressão, está relacionada com a distensibilidade. C=V/P. C: complacência, V: volume, P: pressão. A complacência será mínima na artéria envelhecida, porque perde a capacidade de distensão. Pressão no sistema cardiovascular: Pressão é a força exercida pelo sangue contra uma determinada área unitária da parede vascular. PA= DC x RVP.  As pressões não são iguais em todo o sistema cardiovascular, são as forças propulsoras para o fluxo de sangue. Pressão arterial: a cada contração do ventrículo o sangue penetra na aorta. Como os vasos periféricos não permitem que o sangue escoe para dentro do sistema arterial com a mesma rigidez com que é ejetada, parte desse sangue é armazenado na aorta. Pressão sistólica em repouso: A pressão ejetada pelo coração é de aproximadamente 120 mmHg durante a contração. A pressão sistólica (PAS) permite fazer uma estimativa do trabalho do coração e da tensão que age contra as paredes arteriais durante a contração ventricular. Pressão Diastólica: durante a fase de relaxamento do ciclo cardíaco a PA cai para cerca de 70 a 80 mmHg. A pressão diastólica (PAD) proporciona uma indicação de resistência periférica, ou da facilidade com que o sangue flui das arteríolas para os capilares. Pressão arterial média (PAM): Como o coração se mantém em diástole por mais tempo que em sístole a PAM é ligeiramente menor que a média das pressões em repouso é de aproximadamente 100 mmHg. Essa pressão representa a foca média exercida pelo sangue contra as paredes das artérias durante todo o ciclo cardíaco. PAM = ( PAS + 2 x PAD )/ 3.