Gastro

Clasificado en Otras materias

Escrito el en español con un tamaño de 8,63 KB

 

P Biliar: colelitíase/cálculo na junção bilio-pancreática:  aumento da pressão faz com que haja ativação enzimática levando a auto-digestão pancreática. Tratamento: Papilotomia ou esfincterotomia. Trauma: trauma pode causar elevação da amilase e lipase em 17% dos casos. Drogas: Azatioprina, Sulfonamidas, sulindac, tetraciclina, Ac. Valpróico, metildopa, furosemida,estrógenos, Pentamidina, corticosteróides Infecção: HIV, caxumba, ascarodíase ductal Pancreatite vascular: ocorre devido ação das lipases no leito vascular degradando triglicerídeos e produzindo ácido graxos que irritam o endotélio dos vasos pancreáticos levando o processo inflamatório vascular que posteriormente, poderá disseminar(inflamação) para o tecido pancreático. Idiopática: ecoendoscopia e CPRE com coleta de bile para avaliar presença de cristais e realizar manometria da esfíncter de Oddi. P Aguda Leve(intersticial): Ocorre em 80-90% dos casos; Doença restrita ao pâncreas; Evolução clínica e laboratorial favorável; Mortalidade de 2%; Pode acusar com TC normal P Aguda Grave(necrohemorrágica): Doença sistêmica grave(10%): Liberação de muitas citocinas inflamatórias que levam ao quadro de falência múltipla dos órgãos(Depressão miocárdica,edema agudo pulmonar não cardiogênico, SARA,coagulação intravascular disseminada e outras) e complicações locais(necrose infectada); Tc com contraste ajuda no diagnóstico diferencial para as duas formas de classificação da pancreatite P alcóolica: o álcool aumenta a secreção de proteínas pelas células acinares e reduz a produção de fluido e bicarbonato, aumentando a viscosidade do suco pancreático, aumenta a viscosidade da secreção pancreática porque há redução da litostatina. A litostatina é responsável por uma secreção fluida, já que solubiliza o cálcio que é normalmente excretado no suco pancreático, impedindo a precipitação de cristais de cálcio; A GP2 (ou glicoproteína 2) é um componente não-enzimático do suco pancreático, sendo produzida em pequena quantidade na membrana do ácino. Estimula a liberação da GP2; A GP2 torna a matriz protéica mais sólida. O álcool estimula a produção de matriz extra-celular pelas células estelares pancreáticas. QC: dor, ins exócrina, ins endócrina, caquexia. Diagnóstico: dor abdominal, Esteatorréia, Emagrecimento, DM; Rx simples / Amilase, Lipase, Glicemia, Cálcio, TGL / Gordura fecal; US ou TC abdominal; Teste da Secretina / Bentiramida; CPRE Laboratório: Amilase e lipase (normais ou levemente alteradas); Cálcio sérico (avaliar hiperpara); Dosagem de Triglicerídeos; Pesquisa de gordura fecal; Testes de função pancreática. Divertículo de Zencker região do triângulo de killian é uma região frágil, assim a mucosa da hipofaringe hernie posteriormente com o aumento súbitos de pressão que ocorrem com a deglutição, formando uma bolsa.  Diagnóstico: clínico, esofagografia, EDA. No estudo manométrico muitas vezes observa-se alteração pressórica do cricofaríngeo. Síndrome de Mallory-Weiss: vômitos com sangue ocasionado por laceração da mucosa longitudinal da junção esofagogástrica. Laceração ocorre por aumentos súbitos da PIA, gradiente de pressão é transmitido para a junção.  Tratamento: dieta zero, reposição volêmica, sulcrafate, antieméticos, supressores da liberação ácida, métodos endoscópicos ( são realizados na persistência de sangramento, faz injeção de adrenalina na região para diminuir o sangramento) Anel de Schatzki


 



  RCUCROHN 
 Envolvimento Retal Sempre Comum
 Envolvimento transmural Raro Comum
 Granulomas Ocasional Comum
 Úlceras Aftosas Nunca Comum
 Envolvimento Descontínuo Nunca Comum
 Fístulas Nunca Comum
 Estenoses Ocasional Comum

RCU: diarréia baixa, Febre, adinamia, emagrecimento, edema (por hipoalbuminemia), taquicardia, anemia. Colonoscopia: Grande hiperemia difusa, edema e exudato (pela congestão vascular); sangramento ao toque (mucosa friável) com presença de muco e pus. p-ANCA e c-ANCA Complicações: megacólon tóxico, ca de cólon. Crohn: inflamatória, estenosante e fistulizante. QC: caquexia, aftas, abscessos perianais se manifestam de forma muito dolorosa, espessamento das alças dos mesos, leva ao exame físico um abdome mais tenso e não flácido à palpação abdominal. Lab: anemia de doença crônica ou por deficiência de ferro, folato ou B12; leucocitose nas complicações (ex: abscessos); VHS e Proteína C reativa; hipoalbuminemia; ASCA (Anticorpo Anti Saccharomyces cerevisiae). Diag: Seriografia baritada com ulcerações, estenoses e fístulas; Colonoscopia exibindo úlceras aftóides, estenoses e lesões segmentares alternadas com áreas normais; Anticorpo antineutrófilo (p-ANCA em 5% dos casos e ASCA em 70% dos casos); Granulomas na biópsia; A TC é muito importante para mostrar abscesso intraperitoniais; Grandes estenoses segmentares são melhores vistas com Tc contrastado; Sinal de corda (na TC com contraste): Segmento estenosado (pp íleo) DRGE Mecanismo AntiRefluxo: Crura diafragamática; EEI; Ângulo de Hiss. Diag: EDA, pHmetria. Tto: IBP, fundoplicatura. Clas Savary-Miller para esofagite: I: Erosão Única em prega esofageana longitudinal; II: Múltiplas erosões em mais de uma prega; III: Erosões circuferenciais; IV: Ulcera, estenose, ou encurtamento do esôfago isoladamente ou associado a alterações I – III; V: Barret + lesões I - III. Esôfago de Barret É adquirido em refluxo crônico, havendo alteração do epitélio do esôfago por outro + resistente, sendo uma lesão pré maligna que merece investigação constante. Na histopatologia observa-se presença de metaplasia intestinal caracterizado pela presença de células caliciformes e células colunares. DME Radiologia por método baritado (bico de pássaro - acalásia), Endoscopia, Manometria Fase compensada (Grupos 1 e 2): Irregularidade do peristaltismo, contrações incoordenadas, abertura incompleta ou ausente do EEI Fase descompensada (Grupos 3 e 4): Contrações sincrômicas e de baixa amplitude (aperistalse) e acalasia total do EEI PBE Hérnias diafragmáticas Hérnia traumática, Hérnia de Bodaleck (posterior), Hérnia de Morgane (anterior) Hérnia de hiato: Hérnia hiatal por deslizamento (Parte do estômago (região cárdia)se ascende em direção ao tórax) uxidão do ligamento) Diag: radiologia (Seriografia de esôfago) ou EDA; Hérnia hiatal Paraesofagiana (hiato muito alargado permite que fundo gástrico avance para o tórax antero-lateral ao corpo do esôfago) - pode ocorrer volvos.