Macroeconomia

Clasificado en Economía

Escrito el en español con un tamaño de 8,01 KB

 

evolução histórica: clássicos: (Ricardo,Mill e Say) mão invisivel sem intervençao do estado-forças de mercado (oferta e demanda)- produção máxima de bens e serviços e evitariam o desemprego. Keynes: intervençao do estado na economia (esquema teorico para explicar a depressao) ondas de pessimismo e otimismo afeta os niveis de investimento na economia que afeta a produçao e o emprego. Monetaristas: (Milton Friedman) 1º opositores a keynes. A economia era auto regulada o segredo da estabilidade economica era a oferta monetária estável. Novos Clássicos: (robert lucas,thomas sargent e robert barro) economia auto regulada conceito de economias racionais (as familias e as empresas de forma racional ajustam os preços e os salários). Novos Keynesianos: (oliver blanchard e gregory Mankiw) procuram explicar pq os mercados podem falhar, abre espaço para politicas publicas.-o mercado nao se auto-regula mesmo se os individuos estiverem preocupados em apenas seu interesse. Teoria do ciclo real de negocios: keynesianos e monetaristas estao errados, os choques tecnologicos que explicam as flutuaçoes economicas e nao os choques de demanda ou de politica. Categorias do desemprego:involuntário;voluntário;friccional. (keynes dicordava com os classicos em relação ao desemprego involuntário). pressupostos teóricos do modelo clássico: inexistencia de desemprego involuntário permanente -pleno emprego- > a demanda é criada pela produção (lei de say). fatores que asseguram o pleno emprego: >o livre mercado,>a livre mobilidade dos recursos>,o pleno conhecimento do mercado>,o papel passivo do $>,a flexibilidade na taxa de juros. O livre mercado (laissez-faire) compretiçao integral de pigou> liberalismo economico ausencia de interevençao estatal na empresa privada (oferta e demanda), os salarios descem sob a pressao do desemprego ateh q todos tenham ocupaçao -aumento na poupança faz cair a tx de juros- queda na poupança redução de preços de bens de consumo e aumento na produçao de bens de capital.portanto poupar é gastar em bens de produçao (investimento)>keynes. A essencia da lei de say> (a oferta cria sua propria demanda). o produto cria um mercado de igual valor tão logo ele é criado,-nega que o desemprego involuntario pudesse ser causado por deficiencia de demanda agregada- >validade da lei de say> 1º economia de trocas,2º $ simples meio de troca;3º demanda=oferta $ nao gasto é emprestado. Implicaçoes> 1º pleno emprego;2º relaçao inversa de salario e lucro; 3º gasto do governo nao interefere na demanda final; 4º nao existe crise de superproduçao geral; 5º acumulação de K (investimento) é uma funçao dos lucros. Keynes>principio da demanda efetiva: demanda agregada comanda as decisoes de produçao e emprego. > oferta agregada e demanda agregada determinam o volume de emprego que determina a DEMANDA EFETIVA.o nivel de emprego de equilibrio depende da oferta agregada da propensao a consumir e do investimento(essencia da teoria geral do emprego). a demanda agregada é demanda que vai determinar a quantidade a ser produzida na economia sendo limitada pela disponibilidade de recursos. (demanda agregada execessiva resulta inflaçao). A curva de propensao a consumir é estável pq é determinada pelas caracteristicas psicologicas só em condiçoes anormais o consumo aumenta.MULTIPLICADOR> é um coeficiente que indica a variaçao da renda (produçao) por unidade monetaria de variaçao no investimento, com base na pmgc quando aumenta a renda e o emprego em consequencia de um aumento no investimento. se a pmgc é dada existirá uma razao entre qlquer aumento dado no investimento ( ?y/?i) se chama multiplicador de investimentos (K). ?y/?i= 1/1-c ou 1-pmgc.?y(PIB)=K.?i. ( o multiplicador diminui na expansao e sobe na depressao, pq a pmc cai na expansao e sobe na depressao). Pmgs=?s/?y e Pmgs=1-pmgc. Eficiencia marginal do K (para keynes -defino eficiencia marginal do capital como sendo a taxa de desconto que tornaria o valor presente do fluxo de anuidades das rendas esperadas desse K,durante toda a sua existencia, exatamente igual ao seu preço de oferta ou é a tx d lucro prevista de um ativo de capital novo.A emgc é a razao ou proporçao entre 2 elementos 1º fluxo de rendas esperadas de um bem de capital novo,2º o preço de oferta de um capital. Definiçoes: preço de oferta: é o preço exato para induzir um fabricante a produzir uma nova unidade de K (custo de reposiçao).Preço de procura: é = a soma das rendas esperada - a tx de juros.a curva de preferencia pela liquidez mostra q quanto menor a tx de juros, maior é a preferencia das pessoas por $.a preferencia por $ 3 fatores <motivo transação;especulaçao;preuação>Demanda por bens e serviços Z=C+I+G+(X-M); Y=Co+C1(Y-T)+I+G;poupança privada Sp=-Co+(1-c1)(Y-T);I=S=Sp+Sg;I=-Co+(1-c1)(Y-T)+(T-G);PARADOXO DA POUPANÇA> a medida q as pessoas tentam poupar mais,diminui o produto de equilibrio e poupança permanece inalterada (se G,T e I), o produto nacional cai e a poupança permanece igual ao investimento (I=S).So=(To-G-Tr)+t1y; a relaçao entre a variação no nivel de produto e o volume gasto de investimento é conhecida como principio da aceleração. A relação capital-produto,?, é conhecida como acelerador.as importaçoes dependem da renda domestica (Y) e da tx de cambio real (?). um aumento na renda domestica favorece as importaçoes, e um aumento na tx de cambio real inibe as importaçoes. Um aumento da renda estrangeira (Y*) leva a um aumento das exportaçoes, e um aumento na taxa de cambio real favorece as exportaçoes.um aumento dos gastos do governo leva a um aumento do produto e uma piora no saldo comercial. O aumento no produto é maior do que um aumento nos gastos do governo devido ao efeito multiplicador.saldo comercial Nx=X-M, volume de emprego depende>demanda efetiva;gastos com consumo e gastos com investimento. o consumo depende da renda liquida dos consumidores e da pmc e o investimento depende da emgc e da txd juros.como elevar a propensao a comsumir? atraves de uma reduçao na desigualdade da renda e da riqueza usando a tributaçao e tranferencias.o pmgc cai na expansao e sobe na depressao.titulos Rendimento (R)=ganho com o titulo/preço do titulo. To?PIB?;juros?PIB?,T1?PIB?. tx de cambio nominal (e=R$/US$) tx de cambio real E=(eP*/P), mercado abertoPB=preço do titulo i=$100-$PB/$PB>rendimento;$PB=$100/(1-i)>preço do titulo.variaveis dependentes: volume de emprego e a renda nacional;Independentes ou (explicativas) propensao a consumir a escala de eficienda marginal do K a tx de juros.CRITCA DE KEYNES A TEORIA CLASSICA: 1º sentido pratico: salarios pouco flexiveis,rigidos para baixo o q impede o pleno emprego quando ha execesso de mao-de-obra devido aos sindicatos trabalhistas que dificulta a keda dos salarios para keynes mesmo com salarios flexiveis para baixo poderia haver desemprego se a demanda efetiva fosse baixa.2º teorico: pq o desemprego ocorre por falta de I (demanda) e essa falta ocorre pela inflexibilidade da tx d juros a irracionalidade está em que os empresarios nao tem pleno conhecimento do futuro (incertezas) consq. investimento instavel e geralmente insuficiente.Renda absoluta> renda agregada cresce a fraçao da renda agregada declina; Renda Relativa: efeito exibiçao renda destinada ao consumo aumenta se o vizinho gasta mais. Renda Permanente> consumo transitorio (positivos ou negativo).